Torneio do Povo 1973 » História da 1ª fase do Torneio

Prólogo

1972 foi o ano em que o Coritiba conquistou o bicampeonato paranaense, recebeu o título honorífico de "Fita Azul" por ter voltado invicto de uma excursão ao exterior e terminou o Campeonato Brasileiro na honrosa 5ª colocação. O time titular, considerado fortíssimo, era Jairo, Hermes, Pescuma, Cláudio e Nilo; Fito e Dreyer (Chiquinho); Flecha, Leocádio, Zé Roberto e Dirceu. O meia atacante Zé Roberto foi avaliado pela revista "Placar" como o jogador brasileiro com melhor participação no Brasileiro. Com essa energia, começava um novo ano.....

1973

01/01 - O Flamengo, na figura de seu presidente André Richer, resolve promover o "Torneio do Povo" e confirma a participação dos clubes de maior torcida da Guanabara (Flamengo), São Paulo (Corinthians), Rio Grande do Sul (Internacional) e Minas Gerais (Atlético). Além desses, Richer pensa em também convidar o Botafogo, vice-campeão brasileiro.
02/01 - As 18h, Evangelino acerta a contratação de Elba de Pádua Lima ("Tim"), um dos melhores técnicos do futebol brasileiro
03/01 - Na agenda, o clube imagina começar o ano disputando o torneio "Atlântico Sul", que contará com a presença de times da Argentina, Uruguai, Paraguai e do sul do país.
04/01 - Em virtude da excelente campanha de 1972, atletas começam a sofrer o assédio de clubes brasileiros: Santos ambiciona levar Hermes, já o Fluminense deseja Paquito em troca de Wílton (ele acabou vindo mesmo só em 1975). O Flamengo deseja Hermes e Zé Roberto, (considerado inegociável pelo presidente Neves). Se Dirceu interessa ao Botafogo, já o Cruzeiro tem interesse em Paquito e Abatiá. Pescuma é desejado pela Portuguesa e o São Paulo quer Hélio Pires ou Abatiá.
05/01 - Surpreendentemente a direção do Flamengo muda de idéia e convida Coritiba e Bahia para também participarem do Torneio do Povo. O clube paranaense então abre mão de participar do torneio "Atlântico Sul" e por causa disso sofre ameaças do presidente da federação Gaúcha (Rubens Hofmeister) de ter de pagar uma multa de 36 mil cruzeiros por desistir do torneio.
07/01 - Reapresentação dos jogadores. Como novidade, a preparação física do clube passa a ficar a cargo de Odivonsir Frega e Vidal Peres.
08/01 - Especulações à respeito do elenco: na troca com o Fluminense o clube paranaense deseja Sérgio Roberto ao invés de Wílton, além de ambicionar Mauro Madureira do Internacional.
09/01 - Técnico Tim chega e assina seu contrato até 31/12.
10/01 - Tim é apresentado ao plantel (Jairo, Célio, Ladel, Leonel, Nascimento, Iran, Pescuma, Levir, Nilo, Marinho, Osmar, Peralta, Cláudio, Celso, Léo, Luis Carlos, Hidalgo, Dreyer, Osmarzinho, Dico, Néo, Jabuca, Wilson, Saldanha, Passarinho, Roberto, Renatinho, Baiano, Reinaldinho, Hélio Pires, Zé Roberto, Dirceu, Tião Abatiá, Paquito, Kruger e Fernandinho). Em seguida, realiza o primeiro coletivo do ano.
 
11/01 - Na Federação Carioca são definidos o regulamento e a tabela do Torneio do Povo.
12/01 - Coritiba contrata Sérgio Roberto junto ao Fluminense (ele já envergara a camisa alvi-verde, durante o paranaense de 1971).
16/01 - Tim convida Odilon Silva para ser seu auxiliar técnico
17/01 - Após intermináveis negociações com o Santos, Evangelino acerta a troca do lateral Hermes por Orlando e Negreiros além do empréstimo de Joel Mendes e Oberdã e a renda de duas partidas contra o time santista, com Pelé. Realmente, um negócio da "China".
18/01 - Os cinco novos contratados chegam e são apresentados à imprensa
19/01 - Coritiba viaja a Belo Horizonte, para enfrentar o Atlético Mineiro pela 1ª rodada do Torneio do Povo.
21/01 - Coritiba x Atlético Mineiro (em Belo Horizonte)
21/01 - CORITIBA 2 X 1 ATLÉTICO MINEIRO
Local: Estádio Magalhães Pinto / Mineirão - MG
Árbitro: José Favile Neto
Gols: Ismael aos 18´ e Hélio Pires aos 34´ do 1º, Orlando aos 35´ do 2º tempo
Renda: Cr$ 53.923,00 para 14.654 pagantes
Expulsões: Pedrilho e Oberdan aos 10´ do 2º tempo
CORITIBA: Jairo; Orlando, Pescuma, Oberdan e Nilo; Hidalgo e Negreiros; Tião Abatiá (Reinaldinho), Hélio Pires, Zé Roberto e Dirceu (Néo). Treinador : Tim.
ATLÉTICO MINEIRO: Mussula; Zé Maria, Grapete, Raul Fernandes (Márcio) e Cláudio; Vanderlei e Bibi (Humberto Ramos); Ismael, Campos, Pedrilho e Ângelo. Treinador : Paulo Benigno
Detalhes:
· Essa foi a primeira vitória de um time paranaense no Mineirão
· O Coritiba deu uma aula de futebol. Dois dos recém-contratados, Orlando e Negreiros, foram os maiores destaques do time
· O juiz anulou um gol legítimo de Zé Roberto e não deu um pênalti para o CAM
22/01 - Agendado um jogo amistoso com a Desportiva, Coritiba voa para Vitória (ES)
24/01 - Com gol de Zé Roberto, Coritiba vence a Desportiva por 1x0
26/01 - Já em Salvador, Tim faz Zé Roberto treinar por uma hora a cobrança de penalidades e recomenda que ele bata sempre no lado direito, forte. Também avisa que, em virtude da expulsão de Oberdã, Cláudio será titular no domingo,
27/01 - Coritiba x Bahia (em Salvador)
27/01 - CORITIBA 0 X 1 BAHIA
Local: Fonte Nova - Salvador/BA
Árbitro: Saul Mendes
Gols: Picolé aos 35´ do 1º tempo.
Renda: Cr$ 135.276,00 para 17.943 pagantes
CORITIBA: Jairo; Orlando, Pescuma, Cláudio e Nilo; Hidalgo e Negreiros; Tião Abatiá (Sérgio Roberto), Zé Roberto, Hélio Pires (Néo) e Dirceu. Treinador: Tim.
BAHIA: Alex; Ubaldo, Washington, Roberto e Romero; Baiaco e Eliseu; Natal, Douglas (Fito), Picolé (João Daniel) e Perí. Treinador: Evaristo de Macedo.
Detalhes:
· Aos 14' do 1º tempo Zé Roberto cobra um pênalti no lado esquerdo, e erra
· O jogador Picolé, que fez o gol da vitória, dirigiu o Coritiba em 1992
· O jogo foi disputado sob calor intenso
· O Coritiba não conseguiu furar a retranca baiana
· Repare na presença de Fito no time baiano. Ele foi titular do meio-campo do Coritiba, em 1972
29/01 - Coritiba retorna e vai direto para a "Casa da Júlia" (concentração do clube durante muitos anos, localizada na rua Júlia Wanderley). Apenas o presidente Evangelino desembarca em São Paulo, com uma intenção em mente: trazer um ponta-esquerda.
30/01 - A presença do paranaense Almir de Almeida na supervisão do Corinthians facilita a negociação e o jogador Aladim é contratado por empréstimo, até o final do ano. Na verdade o nome do "Gênio" era uma sugestão de Tim, seu técnico nos tempos de Bangu.
31/01 - Coritiba x Flamengo (em Curitiba)
31/01 - CORITIBA 2 X 0 FLAMENGO
Local: Belfort Duarte - PR
Árbitro: Romualdo Arppi Filho
Gols: Hélio Pires aos 3´ do 1º tempo e Orlando aos 7´ do 2º tempo.
Renda: Cr$ 116.545,00 para 21.975 pagantes
CORITIBA: Jairo; Orlando, Oberdan, Cláudio e Nilo; Hidalgo e Negreiros (Dreyer); Tião Abatiá, Hélio Pires, Zé Roberto e Dirceu. Treinador : Tim.
FLAMENGO: Renato; Moreira, Chiquinho, Fred e Rodrigues Neto; Liminha e Chiquinho II (Samarone); Rogério, Caio (Fio), Zico e Arílson. Treinador: Zagalo.
Detalhes:
· O Coritiba envolveu o Flamengo com um excelente toque de bola
· Depois do 2º gol o Coritiba desinteressou-se pelo jogo
· O destaque da partida foi o zagueiro Cláudio
· Repare na presença de Chiquinho, no meio-campo do Flamengo. Ele foi titular do Coritiba em 1972
01/02 - Aladim chega a Curitiba e diz pretender ficar somente até Dezembro, para depois voltar à Guanabara, onde reside sua família.
02/02 - O Doutor Luis Fernando Ballão assume o departamento médico do clube em lugar de Divanil Cabrini
05/02 - Na maior transação do futebol paranaense até aquele momento, o paranaense Dirceu é vendido ao Botafogo por CR$ 400.000,00 mais as rendas de um amistoso e da partida pelo Nacional.
06/02 - Aladim treina pela primeira vez no gramado do Belfort Duarte. Por estar ainda fora de ritmo, não jogará a partida seguinte.
07/02 - Coritiba x Corinthians (em Curitiba)
07/02 - CORITIBA 0 X 0 CORINTHIANS
Local: Belfort Duarte - PR
Árbitro: Armando Marques
Renda: Cr$ 167.224,00 para 19.049 pagantes
CORITIBA: Jairo; Orlando, Oberdan, Cláudio e Nilo; Hidalgo e Negreiros; Sérgio Roberto (Tião Abatiá), Hélio Pires (Leocádio), Zé Roberto e Néo. Treinador: Tim.
CORINTHIANS: Ado; Zé Maria, Vágner, Luís Carlos e Miranda (Lance); Tião e Rivelino; Vaguinho, Tião Marino (Mirandinha), Nélson Lopes e Marco Antônio. Treinador: Duque.
Detalhes:
· Jogo embolado no meio do campo, com muitas jogadas violentas
· O lateral Miranda fez falta violenta em Tião Abatiá, que acabara de entrar, e este é retirado de campo com suspeita de fratura (Coritiba ficou com um a menos em campo, desde os 20 minutos do segundo tempo, por já ter feito as duas substituições possíveis). Tião Abatiá só voltou aos gramados dois meses depois.
11/02 - O clube estréia no Paranaense com apetite para ser tricampeão. Coritiba 5 x 1 Maringá. A partida reveste-se de maior importância pela presença de Aladim vestindo a camisa alvi-verde pela primeira vez.
16/02 - Coritiba x Internacional (em Porto Alegre)
16/02 - CORITIBA 1 X 1 INTERNACIONAL
Local: José Pinheiro Borda - Beira Rio - RS
Árbitro: Oscar Scolfaro (SP)
Gols: Negreiros aos 8´ e Tovar aos 11´ do 1º tempo.
Renda: Cr$ 67.333,00 para 15.735 pagantes
CORITIBA: Jairo; Orlando, Oberdan, Cláudio e Nilo; Hidalgo e Negreiros; Sérgio Roberto (Reinaldinho), Leocádio (Hélio Pires), Zé Roberto e Aladim. Treinador: Tim.
INTERNACIONAL: Schneider; Cláudio, Figueroa, Pontes e Jorge Andrade; Tovar e Paulo César; Valdomiro, Bráulio (Jangada), Claudiomiro e Djair (Volmir). Treinador: Dino Sani.
Detalhes:
· O gol coritibano foi belíssimo: Negreiros chapelou o famoso zagueiro chileno Figueroa, antes de arrematar para o gol.
· O lateral Nilo cometeu pênalti, ao defender com as mãos uma bola que ia para as redes. O meia Tovar cobrou e empatou a partida.
· Nesta partida o Coritiba esteve perto de perder o título. Caso perdesse o jogo, o Internacional pegaria sua vaga para a próxima fase.
· Repare que no Internacional estão Tovar e Bráulio, meias que logo depois viriam para o Alto da Glória, além do técnico Dino Sani.
· Destaque para os dois meias de ligação, Hidalgo e Negreiros.

3
Terminada a primeira fase do torneio, essa é a classificação:
Grupo A
  Clube Pontos Vit Emp Der Gpro Gcon Saldo
Coritiba 6 2 2 1 5 3 +2
Corinthians 6 2 2 1 2 1 +1
Flamengo 4 1 2 2 4 6 -2
Grupo B
  Clube Pontos Vit Emp Der Gpro Gcon Saldo
Bahia 7 3 1 1 5 5 0
Internacional 5 2 1 2 5 3 +2
Atlético MG 2 1 0 4 7 10 -3
Classificados Bahia, Coritiba e Corinthians (as três melhores campanhas) além do Flamengo, classificado automaticamente por ser o promotor do evento. A favor do Flamengo pesa o fato de ter jogado todas as cinco partidas fora da Guanabara. Em contra-partida, o Bahia jogou todas suas partidas em Salvador.
A segunda fase será um quadrangular e o clube que mais pontos conquistar se tornará o campeão. Nessa fase, como na anterior, o Coritiba vai jogar mais partidas fora de seus domínios (uma partida em Curitiba e duas fora).